POR QUE NÃO TENHO (TANTA) RAIVA DE LULA?



Quando era adolescente tinha um panelinha de colegas na minha sala de aula que aprontavam bastante.  Mas eram populares entre alunos e professores e eu sentia que uma havia um certo nível de complacência por parte da direção da escola.

Uma das coisas que faziam, era escrever e desenhar no quadro ofensas à obesidade nos momentos que precediam a aula de um professor gordão que tínhamos.

O professor entrava na sala, via os xingamentos, apagava o quadro fazendo vistas grossas pois não sabia quem eram os autores e deixava pra lá.

Eu achava aquilo errado, tinha raiva daquilo, mas ficava na minha.

Um dia, um colega que era mais nerd, mais quieto e que não pertencia à panelinha dos mais populares, foi lá e escreveu ofensas similares, fazendo bulling à obesidade.

Naquele dia porém, o professor foi à sala de aula acompanhado do diretor que, ao ver as ofensas, quis apurar quem era o autor. Os alunos da panelinha logo acusaram o aluno nerd que, de fato naquele dia específico, era o autor dos xingamentos.

Diretor, professor, e alunos da panelinha todos ficaram chocados, indignados, surpresos, com as ofensas praticadas pelo aluno nerd, que acabou levando a fama de ser o único autor do fato.

Nesse caso, me deu muito mais raiva da hipocrisia, dissimulação e certo nível de injustiça com que todos reagiram ao episódio, do que do ato errado praticado pelos colegas em si.


Descobri que tenho mais raiva de hipocrisia e injustiça do que de corrupção.

OBS: a história acima é fictícia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

6. Sexta-feira, Sua Linda

UMA TRAGÉDIA CHAMADA LULA