Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

UMA TRAGÉDIA CHAMADA LULA

Imagem
O Brasil vive uma obsessão pela figura de Lula que está acabando com o país.
Essa obsessão se intensificou na campanha de 2014: lulistas e antilulistas previram que se a última eleição presidencial fosse vencida por Dilma, não seria a garantia de 4 anos de mandato, e sim de mais 12 anos de PT, pois certamente com Dilma no poder, seria uma barbada para Lula ganhar em 2018 (e consequentemente 2022).
E assim tivemos a campanha mais intensa, polarizada e de baixo nível da história.
Com a vitória de Dilma, o sistema antilulista histericamente procurou de todo jeito tirá-la do poder e inviabilizar Lula para 2018. Recontagem e votos, boicote no congresso, tentativa de cassar a chapa de Dilma no TSE e o impeachment.
Em relação a Lula começou uma perseguição midiática que culminou com uma das medidas mais absurdas, arbitrárias, sem sentido, e bizarras da vida política brasileira da história: a condução coercitiva de Lula.
A partir daí fomos ladeira abaixo: os lulistas responderam com bizarri…

QUARTO ESCURO

Estávamos num quarto escuro e acendemos a luz. Descobrimos que o quarto está imundo.

a) Há quem pregue que apaguemos a luz. O quarto continuaria imundo, só não veríamos.

b) Há quem pregue que quebremos o piso todo e coloquemos um novo. Mas aos poucos o piso novo ficaria sujo novamente.

c) Acredito que temos que continuar a faxina, criando um sistema de limpeza periódica, envolvendo mais pessoas que possam mostrar sempre rapidamente assim que um cantinho ficar sujo.

A letra a) é a ditadura

A letra b) é o rompimento com os partidos que aí estão apostando na criação de novos

A letra c) é apostar na democracia e nas suas instituições cada vez mais livre e independentes, MP, PF, STF, STJ, TCU, TCE, TCM, CGU, imprensa livre, internet... Ferramentas de controle e transparência.

O quarto não ficar limpo num passe de mágica.

CITADOS NA LAVA JATO

Lula, Aécio, Alckmin, Serra, Temer, Jucá são citados na LAVA JATO.

Ciro Gomes, Marina Silva, João Doria, Jair Bolsonaro ainda não.

2018 começou!