ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2016: Derrota da narrativa do golpe. Vitória da Lava Jato. Onda azul. Será?

Veja o gráfico do desempenho dos partidos da última eleição municipal para essa última de 2016:


Baseado nele, algumas observações:

Esqueçam o PT, PSDB e PMDB por um momento.

Sobre o posicionamento em relação ao impeachment:

Muitas análises estão afirmando que a narrativa do golpe não colou, ou que o povo nas urnas referendou o impeachment. Mas vejam só:

Três partidos (além o PT) se destacaram contra o impeachment de Dilma, todos de esquerda: PDT, PC do B e PSOL: ambos cresceram nessas eleições em número de prefeituras, de forma bastante razoável: PDT, +10%, PC do B, +56%, e o PSOL que subiu de 1 para 2 prefeituras conquistadas.

Por outro lado, outros três partidos enfáticos na defesa do impeachment, caíram um pouco: PSB, - 4,6%; DEM, -4% e PPS, -3,3%.

Diante disso, seria correto afirmar que os votos desta eleição referendaram o impeachment como alguns tentam defender?

Sobre a Lava Jato:

O partido mais citado no envolvimento na Lava Jato foi o PP. Seu resultado na eleição: cresceu! Ganhou mais 4,4% de prefeituras que tinha em 2012. Curioso, no mínimo.

O PMDB, também foi muito citado na Lava jato e foi um grande protagonista a favor do impeachment. Na eleição, não cresceu nem caiu. Manteve praticamente com o mesmo número de prefeituras.

Ou seja: a Lava Jato foi inócua, tanto para PP quanto para PMDB...

A grande notícia da eleição foi o desastre do resultado do PT, caindo de 600 para 200 prefeituras conquistadas.

Sobre isso, duas questões:

A óbvia e histérica exposição midiática do mais punido partido por corrupção do país nos últimos anos - merecidamente por ter feio merda, mas injustamente no sentido do jogo político, como bode expiatório único de uma roubalheira generalizada;

E um fato que talvez mereça atenção: com todos os holofotes – da justiça e da imprensa - voltados para si, o PT não pôde financiar suas campanhas. Com muito menos dinheiro empregado nas campanhas que seus adversários, que não têm tesoureiros nem marqueteiros presos, naturalmente o PT teve um resultado negativo bastante significativo.

Por fim, talvez a queda acentuada do PT tenha como consequência automática o crescimento substancial de 15% do seu arquirrival imediato PSDB. Ambos tinham cerca de 600 prefeituras em 2012. Com um deles fora de cena, o outro naturalmente subiu.

Assim, me parecem um enorme papo furado essa conversa de que a narrativa do golpe não colou ou que a direita venceu as eleições. Ou ainda que a transparência e a correção saíram vitoriosas.


Só quem pode comemorar mesmo é o antipetista passional e superficial. Mas o PT é só uma sigla.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

6. Sexta-feira, Sua Linda

POR QUE NÃO TENHO (TANTA) RAIVA DE LULA?

UMA TRAGÉDIA CHAMADA LULA