Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2012

4. A Regra de Ouro

Imagem
A ética da reciprocidade Comprei um livro de Filosofia. Quer dizer, talvez não seja um livro de Filosofia, é mais um livro sobre Filosofia.
O livro é um “resumão” sobre pensamentos e pensadores ao longo da história da humanidade. Para quem tem um mínimo de conhecimento sobre o tema, deve parecer um livro infantil: gráficos, boxes, ilustrações, linguagem super acessível. Para mim, leitor esporádico de ficção, interessado em filosofia de boteco, ele é perfeito!
Logo nas primeiras páginas já me deparei com a tal “Regra de Ouro” da filosofia. Ela é citada pela primeira vez na parte sobre Confúcio, filósofo chinês do Século V a.C. Juro que nunca tinha ouvido falar em “Regra de Ouro”, mas o seu enunciado, ouvimos todos os dias: “o que você não deseja para si mesmo, não faça aos outros”.
Em tudo que fizer A cada atitude tomada Pondere aquilo que quer Com a tal regra dourada
Uma rápida corrida ao amigo Google e descubro que ela é chamada “Regra de Ouro” por ser um princípio moral geral presente em pr…

3. Música do mês. Agosto. Panela.

Imagem
A área vip em frente ao palco é exclusiva para os convidados


Panela é a terceira música que gravo em parceria com Yonsen Maia, grande produtor, arranjador, guitarrista e compositor.
Para ouvi-la (dê preferência aos fones de ouvido):
http://www.youtube.com/watch?v=eqRB8uKNtwI&feature=youtu.be
Há três meses temos conseguido gravar uma música por mês: compostas e com arranjos idealizados por mim, as canções ganham forma e cara através da maestria da execução dos arranjos por ele. A ideia é completar as 10 que farão parte de um futuro disco, cd, álbum, ou seja lá qual o formato adequado para se apresentar músicas daqui há alguns meses (os citados já são obsoletos?). Faltam 7!
As outras duas músicas gravadas são Sentido (em junho) e Unilateral (em julho), cujos links dos vídeos postados no Youtube encontram-se ali no lado direito deste blog.
Sobre Panela, não há nenhum mistério em sua letra. Tudo que ela quer dizer está ali. Mas não resisto em divagar um pouco (devagar...)
Ela nasceu da obse…

2. Atletas e Artistas

Imagem
O reflexo e a reflexão
Ao final da 30ª Olimpíada, nos deparamos com os comentários de praxe sobre o quanto o Brasil não investe no esporte, que nossa posição no quadro de medalhas é desproporcional ao nosso PIB, ao nosso gigantismo territorial, ao tamanho da nossa população.
Os jornalistas mais sérios cobram de dirigentes esportivos, das empresas estatais e do Estado como um todo.
Os humoristas brincam com os cabelos esquisitos, as caretas em câmera lenta, e os fracassos mais notórios (sucesso obrigatório?).
Mas me chamou mais atenção dessa vez o grau de rigor que as pessoas em geral têm com os atletas e treinadores, particularmente.
No escritório, no elevador, no aeroporto, na roda de amigos e primos, o que mais ouço são críticas direcionadas ao mau desempenho, ou melhor, ao desempenho abaixo do esperado, por parte de nossos atletas mais abnegados (negados?).
Que atire a primeira pedra Aquele que nunca errou Aquele que não sofreu queda Aquele que não sentiu dor
Neste momento, é necessário u…

1. Um Caminho

Imagem
Qual o limite entre céu e mar? Entre chão e ar?
Ao longo da vida, em vários momentos, somos desafiados a escolher um caminho.
No início, apesar de muitas dessas escolhas serem determinadas por nossos pais, mesmo inconscientemente nós manifestamos nossas preferências: não seguimos no esporte que não curtimos (resistência); imploramos pelo instrumento musical que nos deslumbra (insistência); temos, cada um, as disciplinas escolares que amamos odiar ou que odiamos amar (existência).
Dentre tantos caminhos a seguir, normalmente a escolha do que fazer no vestibular mostra-se uma das mais marcantes. Uma escolha que pode determinar toda uma vida profissional, (de êxito ou hesitante) por mais que idas e vindas possam e certamente irão ocorrer.
Talvez seja a primeira grande escolha da passagem da vida infantil (pueril) para a vida adulta (de luta), mesmo sabendo que há um grande limbo chamado juventude (inquietude), entre essas vidas (divididas).  
O que eu vou ser quando crescer? Tenho que fazer es…